Plantas, Vitaminas e Minerais
Energia pura e natural (isento de estimulantes)

A energia é um tema importante para a manutenção das nossas vidas, visto nenhum organismo, qualquer que seja o seu tamanho ou composição, se manter vivo, se não dispuser da mesma.

A estrutura das células exige energia para permitir processos  que são essenciais para o crescimento físico e mental, tais como a movimentação, reprodução e manutenção do meio interno constante, a qual permite as pessoas viverem com qualidade.
No ser humano a alimentação é o combustível usado para a obtenção da energia necessária à homeostase, i.e., ao metabolismo basal, bem como permitir as atividades que o relacionam com o meio ambiente.
A unidade usada para medir a energia fornecida pelos alimentos tem o nome de caloria ou, mais corretamente quilocaloria (Kcal), i.e., a quantidade de calor necessária para fazer subir a temperatura de um litro de água um grau centígrado.
Existem duas formas de energia, a energia cinética (do movimento) e a energia potencial (armazenada), sendo a quantidade de energia necessária ao ser humano para se manter vivo, estando relacionada com a idade, raça, sexo, exercício físico, etc.
Na produção de energia existem duas vias metabólicas, uma exigindo oxigénio (aeróbica) e outra sem oxigénio (anaeróbica).
No metabolismo aeróbio, após a glicólise (degradação da glicose), o piruvato vai entrar no ciclo de Krebs ou do ácido cítrico (ver figura), dando origem a 12 moléculas de ATP, CO2 e H2O, e eletrões de alta energia que são capturados pela NADH (Nicotinamida Adenina Dinucleótido na forma reduzida) e FADH2 (Flavina Adenina Dinucleótido na forma reduzida), daí a importância de duas vitaminas do complexo B, a B3 (Nicotinamida) e B6 (Riboflavina), neste processo.
No anaeróbio o piruvato é convertido em ácido lático, o que provoca por vezes as dores, produzindo apenas 2 moléculas de ATP, reconhecendo-se a imperiosa necessidade da oxigenação celular.
No que diz respeito aos lípidos (gorduras) e glicogénio, moléculas de armazenagem de energia orgânica, são degradados por um processo denominado de beta-oxidação na produção de ATP.
As necessidades energéticas do corpo humano, de acordo com a termodinâmica é definida pela “ingestão calórica correta que deverá ser igual à energia gasta com as funções metabólicas basais mais a energia de reserva”. Tendo em consideração as Recomendations Dietary Allowances (RDA) “as necessidades de energia correspondem às quantidades de alimentos que o indivíduo deve ingerir de forma a compensar as perdas energéticas gastas com o metabolismo basal em situação de tamanho, composição corporal e atividade física, compatíveis com boa saúde permanente”

 

Ingredientes:

Água purificada; Vitamina C (Ácido L-ascórbico); L-Arginina; Geleia Real; Pau D’arco (Tabebuia avellanadae) extrato seco (4:1) do córtex; L-Carnitina; L-Taurina; D-Ribose; Clorofila; Romã (Punica granatum) extrato seco (4:1) do fruto; Cálcio (Gluconato de cálcio e Glicerofosfato de cálcio); Magnésio (Citrato de magnésio); Coenzima Q10; Estabilizante (Goma Xantana); Conservantes (Sorbato de Potássio e Benzoato de Sódio); Aroma idêntico ao natural; Edulcorante (Sucralose); Vitamina B2 (Riboflavina); Vitamina B3 (Nicotinamida); Vitamina B6 (Cloridrato de piridoxina); Pimenta negra (Piper nigrum) extrato seco (4:1) do fruto com 95% de Piperina; Ácido Fólico (Ácido pteroilmonoglutâmico); Vitamina B12 (Cianocobalamina).